segunda-feira, 7 de abril de 2014

Igrejas Divididas,“O preço da divisão”

As diferenças e rupturas de ministérios geram traumas e causam  o esfriamento espiritual dos  fiéis. Nos Últimos anos é possível perceber o aumento de igrejas que nascem da divisão de  outras igrejas,  mesmo as mais tradicionais sofreram rupturas. Esse fato tem trazido  dissensão e causam traumas na vida dos fieis gerando  a morte espiritual.


 Existem diversas razões para haver um racha em uma denominação, desde a vaidade pessoal  do adoradores insubordinados, dificuldades de se trabalhar em equipe e interesses pessoais  nocivos. 
Independente de qualquer que seja os motivos, a divisão de uma igreja sempre gera verdadeiros traumas emocionais e de fé nos membros que são os que mais sofrem nessas situações. Toda ruptura, quer seja pessoal ou institucional, sempre causa algum tipo de trauma emocional, psicológico, social, e, no caso da igreja, um mal espiritual.
Trata-se de um divisão eclesiástico, que afeta profundamente a história e a identidade de um povo, removendo as suas bases e criando um grande vazio existencial por um longo tempo. Esses traumas podem criar grandes males espirituais para os membros de uma igreja que se fragmenta. (1Cor 12:25).
Alguns anos atrás pensava e concordava que melhor  ter uma igreja em cada esquina, independente da placa denominacional, o importante  pregar o evangelho. Pensava que seria a melhor maneira de propagar o evangelho a toda criatura,nesses últimos anos tenho me preocupado muito com esse pensamento.
Em cada bairro que passamos encontramos várias igrejas, grandes catedrais como também pequeninos cubículos, conhecidas e anônimas, igrejas serias e respeitadas, como também igrejas difamadas pela falta de caráter e prudência de seus lideres, igrejas de todo tipo, estilo para todo gosto, com toda interatividade existente.
Mas, a pergunta que sempre faço , porque tanta igreja hoje em cada esquina? Para propagar o evangelho? Desde quando e quem disse que para pregar o evangelho é necessário sair de sua denominação local e fundar outra, as vezes  do lado da mesma? Jesus disse que devemos pregar o evangelho a toda criatura e não sair fundando denominações, pior ainda, criando modismos e contradizendo a Palavra de Deus. 
Na realidade não vemos crescimento do evangelho e sim uma migração de crentes rebeldes, que são ovelhas sem pastor, pulando de igreja em igreja, buscando adaptar-se a um evangelho segundo suas próprias concupiscências e não na direção do evangelho da verdade, que requer humildade, submissão e renuncia.
A Origem das divisões que vem de Satanás (Mateus 12:25).
Neste texto Bí­blico Jesus nos mostra um principio Divino muito forte. Ele ensina que toda guerra, traição, gera divisões. Alguns anos atrás por causa da 2ª guerra mundial a Alemanha foi dividida por um Muro chamado muro de Berlim. Aquele muro separou o ocidente do oriente, pais de filhos e assim por diante. A Divisão  trás desgosto. Muitas famílias empobreceram e tiveram que vender seus patrimônios. Toda divisão gera algo nocivo. Assim também  no reino de Deus. Jesus afirmou que um reino divido não subsistirá¡.
Onde começou? No céu. (Apoc 12:7-8).
Deus não aceitou a interferência de Lúcifer e o expulsou. Por sua vez este anjo dividiu o céu levando consigo a terça parte dos anjos de Deus. (Apoc 12:4). 
Vindo para essa terra Satanás semeou divisão no mundo, dividindo nações e provocando guerras e mortes. 
Colocou divisões e pelejas na sociedade entre grupos políticos, no futebol, na família gerando divórcios e em outras áreas da sociedade. Infelizmente esse mal tem chegado na igreja. Segundo a Bí­blia divisão é maldição.
A Palavra Satanás significa adversário, ou seja, aquele que se opõe a autoridade. Diabo significa Caluniador. Quem divide a obra tem essas duas características luciferiana. Vamos analisar essa passagem bí­blica: (1Reis 3:16 ao 27).
Aqui esta uma grande lição: A verdadeira mãe preferia perder do que ter a criança dividida. A falsa mãe, por interesses egoístas preferia dividir a criança do que abrir mão. Assim na igreja. O verdadeiro crente muitas vezes sofre o dano para não provocar divisão. Enquanto que o falso obreiro, sem se preocupar com as conseqüências traumáticas, egoisticamente, pensando só em si, provoca divisão.
O nosso Deus é um Deus de unidade. veja (João 17:20-21). 
Por isso Satanás procura gerar magoas, ambições, insatisfações, independência e interesses para provocar divisões entre irmãos. Lúcifer atingiu o coração de Deus com sua rebeldia e divisão convencendo os anjos a segui-lo, desprezando a Deus. Toda divisão gera:
-Sofrimentos emocionais.
-Criticas mentiras e palavras jogadas fora.
-Ódio entre irmãos e orgulho ferido.
Tudo isso afeta o evangelho de Cristo. A Divisão é um sistema de vida maligno. Ela nasce em nossos corações quando queremos ser independente, insubmisso a procura de liberdade. Esse foi o Espírito que dominou Absalão, filho do rei Davi. (2Samuel 15:1 ao 6)
Porque Deus odeia a Divisão?
1º- A Divisão faz lembrar Deus do que Satanás provocou no céu.
2º- A Divisão enfraquece o corpo de Cristo.
Quem provoca divisão não tem o Espírito Santo e sim o espírito enganador e imitador. Paulo faz uma pergunta a igreja de Coríntios. Está Cristo dividido? (1cor 1:10 ao 13).
Paulo sabia como esse pecado traria conseqüências negativas a igreja de Cristo. Em uma divisão as famílias dos irmãos são as mais afetadas. Principalmente as crianças. Elas escutam seus pais agora, falar mal da igreja onde estavam, do pastor que lhe dirigia, colocando defeitos no ministério, para ganhar força na divisão. (Atos 20:29-30). 
Os filhos são forçados a tomar partido, vendo os pais de seus queridos amiguinhos do outro lado da divisão. Uma pesquisa diz que a maioria desses filhos de irmãos não permanecem na igreja e no evangelho. Bons amigos se tornam inimigos por que acabam sendo influenciados pelo irmão divisor. Pessoas que outrora oravam uma pelas outras, agora se maltratam e não se saúdam mais. Precisamos fugir de todo murmurador. (Rom 16:17).
Motivações que geram a divisão de Obra
1 - Coração Desejoso de Vangloria humana - Muita gente querem ter seu próprio reino, seu próprio governo, seu próprio domínio, sem prestar conta com ninguém. Aí começa a discordar do Sistema da Igreja onde esta, e como resultado, funda a sua própria igreja sem ordem Divina nenhuma e sem o menor preparo possível. A quantidade de novas igrejas, sem expressão, com nomes estranhos  assustador em todo território brasileiro, por causa deste espírito independente. Hoje o sujeito discorda de um, discorda de outro e efetiva um novo ministério em nome de uma suposta revelação que recebeu. Muitas vezes essa revelação desta nova igreja, uma revelação fundamentada em seu próprio bolso, preocupada consigo mesmo. Assim, essa nova igreja se torna seu novo negócio financeiro, para satisfazer sua própria vontade.
2 - Interesse Financeiro: Hoje muitos líderes  eclesiásticos não pregam mais o Evangelho com amor, não saem as ruas para evangelizar, criar relacionamentos com outras pessoas, começar do zero não sabem mais o que é sofrer pelo Evangelho. Prega-se por Interesse Financeiro, monta se igrejas e ainda tem a falta de vergonha de dizer que Deus está nesse negócio. Deus mandou sair desta ou daquela denominação para montar a sua própria, isso, quando não difama a sua ex-denominação para atrair os membros da mesma para o seu rebanho. (2Cor 11:13-14-15), (Atos 20:29-30).
3 - Interesse Ministerial: Alguns amam o poder e títulos. Gostam de ser bajulados e reconhecidos como líder. Como disse Jesus: Amam os primeiros lugares nas  primeiras cadeiras. (Mateus 23:6-

 Enfim final dos tempos!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...